Black Butler, ou Kuroshitsuji para os intimos, é um dos pouquíssimos mangás que faço questão de acompanhar a partir do lançamento no Japão. Como a Panini trouxe na época em que arrumei um trabalho comecei a colecionar mangás, lógico que eu não ia deixar essa belezinha passar! (infelizmente a esta altura do campeonato acho impossível conseguir todos os números de Naruto… queria tanto colecionar… *snif*) Devia ter feito uma review logo que consegui o primeiro volume, mas atentei pra alguns detalhes técnicos e resolvi que só faria depois de confirmar umas coisas junto com o segundo volume. Já confirmei, então aqui vamos nós a uma review resultante da análise dos dois primeiros volumes! (cuidado com spoiler)

 
Resumo
 

Sebastian é o fiel mordomo da residência Phantomhive. Ele serve o atual mestre da casa, de 12 anos de idade, Conde Ciel Phantomhive. Como é de se esperar em uma mansão, há vários servos, mas nenhum é tão dedicado ou tão bom em seu trabalho como Sebastian. Mas é um mordomo bom demais para ser verdade, ou apenas bom demais para ser humano?




Comentários
 
No manga de Yana Toboso, em meio a uma falsa era Victoriana (pois vemos carros e celulares durante a série), somos apresentados a uma tradicional relação de mestre/servo, mas assustadoramente nova e diferente, deixando os leitores intrigados. O insolente jovem conde é, obviamente, um menino problemático, mas não vão descobrir isso ainda no primeiro volume. Os leitores apenas aprenderão sobre seu cotidiano e verão sua personalidade obscura. Sebastian, por outro lado, é o mordomo perfeito além da compreensão. Os outros servos são todos estúpidos e incompetentes, usados exclusivamente para entretenimento cômico (tadinhos).
 
Sendo publicado pela editora Panini no mesmo formato de Kimi ni Todoke e Naruto, ao preço de R$10,90, Black Butler tem alguns pontos que eu gostaria de destacar (fã tagarela.. não vou falar muito, sério :X). 
 
 
1°: Material, Capa e Ilustrações Coloridas
 
Material gráfico de sempre da Panini, aquele tipo folha de jornal barato pra que não saia muito caro no bolso. A capa, comparada com de outras editoras, é considerado por muitos uma das melhores adaptações e eu também acho, quer dizer, vejam só na imagem acima o trabalho de preguiçoso que a editora francesa fez. Panini, obrigada. A contra capa também não ficou ruim com uma sinopse para atrair quem não conhece, afinal de contas não é só otaku que compra mangá. E a lombada, que era minha maior preocupação, está perfeita! Por que disso? É só ver na imagem ao lado (esquerda). Quando vi o que fizeram com Black Bird (deixando o primeiro volume em número romano e depois mudando os outros volumes para números inteiros) fiquei tensa, mas o alívio veio com o segundo volume, o “II” apareceu ali espremido. Ufa! Resta ver o que vão fazer com o número XVIII…

Internamente nós temos uns comentários da autora e ilustrações coloridas. Destaque para a página de abertura, que sempre vem com os personagens usando algo em tom de uma cor só. (que trabalho mais lindo, Panini! *emocionada*)
 
2° Adaptações de Termos
 
  • Black Butler!? Mas eu prefiro Kuroshitsuji, custa deixar no original!???” Primeira polêmica (?) levantada por alguns fãs. Assim como foi explicado no ChuNan, Black Butler é o título oficial da série internacionalmente, ou seja, tem uma burocracia do cão aí então não adianta reclamar. Aliás, só pra conhecimento, essa adaptação não me incomodou nem um pouco, achei até chique (blequi baduler).
  • Jovem Amo!? E traduziram My Lord!? Não creio!” Eu que não acredito que tem gente que se revolta com isso. É apenas o típico detalhe que não afeta o público geral (tirando os fãs mal acostumados) e pra mim ficou muito bom. 
  • Sou um simples mordomo… que também é demônio.” Black Butler é cheio de trocadilhos japas, mas infelizmente alguns não podem ser traduzidos a ponto de manter o sentido. Repito, infelizmente, porque teria muita graça, afinal é um mangá irônico. Esta frase, que veremos ser dita por Sebastian ao longo da história diversas vezes, é formada por um ideograma que pode ser lidos como “mordomo” ou “demônio” (akuma de shitsuji desu kara, sonoridade no original). Mas fiquei feliz por não vir o tal do “mordomo e tanto”, não tinha graça. E também não será possível o trocadilho “Desu/Death” de Grell e o apelido carinhoso “Sebas-chan” devida a não atribuição de honoríficos. :/
  • Anjo da morte!? Pra Shinigami!??” Não sei se em Bleach eles usam o termo “Shinigami”, mas tenho que dizer que preferia que tivessem mantido assim em Black Butler… mas podia ser pior, poderia ser Doutor Morte, que nem em Soul Eater. No volume 2 somos apresentados a Grell Sutcliff, o famoso shinigami homosesuxal da série. Foi denominado de Anjo da Morte e eu não gostei porque o cara é meio que do mal, e eu… bem eu tenho meus princípios religiosos e isso me afeta um pouco, pronto falei! (>_< ) (podia colocar ceifador, sei lá… *resmunga*) Pelo menos mantiveram o original Undertaker do coveiro e a arma Death Scythe. Apesar desse meu choro aqui no final, acredito que a tradutora Dirce Miyamura tenha feito (e vai fazer) um excelente trabalho. (Estou amando esse ar formal que me impregna toda vez que leio o mangá, nem sabia que nosso idioma tinha a capacidade de soar tão polidamente.)
 
Conclusão
 
Sou suspeita pra recomendar, sou fã. Sem falar que a série tem a má fama de ser yaoi. Mas não é. Yana Toboso, com seu belíssimo traço, fez questão de tornar Ciel e Sebastian lindos de doer e é claro que este elemento permite que as leitoras vejam essa relação entre senhor e servo como algo a mais, afastando aqueles que poderiam pegar um título shounen como este. Insinuações até tem, mas o efeito é tão sutil que não vai tirar a vontade dos leitores de se ligar no humor e na ação.

A pesar de ter visto muita relutância do pessoal pra comprar o primeiro volume, o mesmo esgotou rapidamente (acho que ainda tem no Mercado Livre). Lógico que eu comprei os meus logo na Comix, porque nem faço mais questão de passar nas bancas da minha cidade. Mas enfim, quem curte Vampire Knight ou D. Gray-man provavelmente vai gostar, é um chute. Na boa, compra. Se não gostar, guarda e no futuro leiloa no ML que você vai faturar. (um dia desses os 8 primeiros números de VK sairam por R$ 460 :O) A partir do segundo volume as coisas começam a ficar emocionantes então não perca tempo e corra logo pra conseguir seus exemplares. Até a próxima.
Anúncios

Um comentário em “[MANGA] Black Butler

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s